Casa Pró-Vida MI promoveu o IV Seminário de Biopolítica

SONY DSC
SONY DSC

O evento trouxe como tema a identidade feminina

Aconteceu na PUC-PR o IV SEMINÁRIO DE BIOPOLÍTICA DA Casa Pró-Vida Mãe Imaculada, com o tema: A Batalha da Mulher Cristão pela defesa da Identidade Feminina.

As palestras começaram com uma fala de Andrea Dal Pra, do Núcleo de Biopolítica da Casa MI e doutora em História, que explorou um pouco sobre o tema do seminário expondo que a batalha narrada no livro de Gêneses acontece hoje e estava presente em todos os momentos da vida da mulher. Ela refletiu como, ao longo da história, graças ao cristianismo, a mulher assumiu um papel de respeito, ainda que o pensamento dominante de hoje insista em omitir este fato.

Em seguida refletiu sobre a importância de uma fé coerente e acompanhada da Igreja e seus ensinamentos para a evangelização nos dias atuais. Para as mulheres implica estar de prontidão frente a uma desconstrução do feminino, da maternidade e da esponsalidade.

A designer e estudante de filosofia, Laura Barreto, trouxe um pouco sobre a identidade feminina numa perspectiva filosófica-cristã aos olhos de Santa Teresa Benedita da Cruz. A Santa viveu sua conversão no tempo onde o feminismo começa a despontar, no século XX. O sentido de complemento é entendido por ela como pleno, ao contrário da igualdade “pregada” nos dias de hoje e conhecer o ser feminino- que é um outro ser, diferente do masculino-, cujo modelo é Maria é o caminho para essa plenitude. Ela também abortou sobre o sentido da mulher como “mater”, aquela que dá a matéria, bem como sobre um aspecto bem prático, a vivência do pudor.

Já  Sirlei Faustino retratou sua experiência de fé dada a ela pela sua mãe, recordou a importância da família na participação e formação de cristãos amantes de Cristo. A experiência como mãe, filha e esposa enfatizou o papel de famílias cristãs para um mundo mais coerente e cheio de Deus.

O Seminário foi prestigiado pelo Arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, que também refletiu sobre o tema e recomendou que a Casa continue a promover tais eventos.

Por: Marcia Faustino

Comunicação Casa Pró-Vida MI

Deixe seu comentário

*