41 3156.0003

#CasoRebeca

E a Rebeca abortou…

A estudante de direito, Rebeca Mendes Silva Leite, 30 anos, abortou o seu terceiro filho, que ela estava gestando.

Após ter recebido uma negativa ao seu pedido de liminar endereçado ao STF para poder cometer o aborto, ela foi à Colômbia para matar a criança. Todas as despesas foram pagas pelas ONGs abortistas que vinham a acompanhando a Rebeca, a ANIS e a CLACAI. ONGs conhecidas dos pró-vidas por agirem incansavelmente pela legalização do aborto no Brasil e nos demais países da América Latina.

Importante destacar que a Rebeca recebeu propostas de ajuda de várias organizações pró-vidas dos Brasil, entre elas da Casa Pró-Vida Mãe Imaculada, de modo que ela teria todo apoio (inclusive financeiro) para ter o seu filho e, se caso não quisesse ficar com ele, poderia ter deixado para adoção. Nada justificava que ele fosse abortado.

A grande imprensa, que majoritariamente também apoia o aborto, fez matérias falando do fato, destacando o bom atendimento que a Rebeca teve naquele país. Mas nenhuma palavra sobre a criança que ficou lá, morta…

Infelizmente o #CasoRebeca é mais uma tentativa de forçar a opinião pública a aceitar o aborto. Ao destacar o modo que ela foi bem atendida na Colômbia, se quer, com isso, enfatizar que o mesmo deve ser feito aqui. Além disto, não há dúvidas que a Rebeca foi usada, se com o seu consentimento ou não, não sabemos, para alavancar a agenda abortista.

Estando próximos ao Natal do Menino Jesus, fica em nosso coração a dor por mais uma criança que não teve a chance de nascer. E rezamos pela conversão do coração da Rebeca.

Para entender melhor o #CasoRebeca, veja este vídeo:

A Casa Pró-Vida ofereceu publicamente apoio à Rebeca, para que ela tivesse o seu filho. Ela não precisaria tê-lo matado.

http://casaprovidami.com.br/rebeca-nos-te-daremos-todo-apoio-necessario/

P.S.: este texto foi editado em relação à sua primeira postagem.