Santos Pró-Vidas: São Luiz e Santa Zélia

271-memoria-de-sao-luis-e-santa-zelia-martin

No dia 12 de Julho, celebramos São Luiz Martin e Santa Zélia Guérin. Embora a parte mais conhecida da vida deste santo casal esteja ligada à geração da gloriosa Santa Terezinha do Menino Jesus, muitos passos de sua santidade, ocorreram dentro da família e na vivência quotidiana. Eles são padroeiros da Casa Pró-Vida Mãe Imaculada.

Acostumamo-nos a pensar que os candidatos mais cotados à santidade sejam monges, religiosos, padres, missionários, e nos parece ser até mesmo algo inédito, quando nos deparamos com a canonização de um casal. A vida matrimonial, sem dúvida alguma, é um fator essencial para a felicidade eterna, a qual por sua vez não faz distinção entre religiosos e leigos, mas antes, abre as portas para todos aqueles que desejam seguir a Cristo no seu estado de vida específico, quanto mais para os cônjuges que compõem a maior parcela da Igreja.

A vida dos santos

Luiz no ofício de Joalheiro e relojoeiro, Zélia, na condução da pequena oficina de bordado. O trabalho não foi limitador para a geração e educação de 5 filhas. Como a vida de qualquer santo, também enfrentaram grandes provações; dos 9 filhos nascidos, perderam 4 prematuramente. Sem deixar a educação dos filhos e o trabalho, esta família também se ofereceu devotamente à caridade para com os mais necessitados, à oração e ao serviço à Santa Igreja, numa demonstração clara de amor à Cristo, o qual não encontra barreiras a vocação dada por Deus a cada um.

Antes de se conhecerem, ambos tentaram seguir a vida religiosa, porém, sem êxito. Fatos como este, muitas vezes mostram o quão importante é o discernimento vocacional e a recepção com amor da vontade de Deus para nossas vidas. Dos frutos dessa união preparada por Deus, surgem 5 vocações à vida religiosa, dentre elas, destacadamente a da doutora da Igreja Santa Terezinha do menino Jesus.

O amor conjugal que une um casal cristão pelo respeito e submissão, demonstra quão necessário é colocar Deus no centro do matrimônio. Abaixo, um breve trecho de uma carta redigida por Santa Zélia a São Luiz, que dão provas do amor intenso entre estes dois santos:

“Estou ansiosa para estar perto de você, meu querido Luís. Eu te amo com todo o meu coração, e eu sinto ainda mais o meu afeto quando você não está aqui comigo. Seria impossível para mim viver longe de você. “(Carta 108)

É preciso também reconhecer que estamos todos apenas de passagem neste mundo, e portanto, o fundamento de um matrimônio é fazer com que ambos mutuamente, homem e mulher, cooperem para chegarem juntos à eternidade. Em 1864, Zélia descobre um câncer impossível de ser operado, que a leva à morte 12 anos depois. Alguns anos depois, Luiz, diagnosticado com esclerose arteriosclerose cerebral, após muito sofrimento físico e psicológico, entra na eternidade em 1894.

Exemplo para os casais 

O tempo em que vivemos, revela um mundo cada vez mais triste e solitário, onde o matrimônio encontra-se cada vez mais superficial e decadente, com poucos casamentos, e destes, menores ainda são aqueles que sobrevivem. Incontáveis os lares cristãos onde é mais recorrente o número de casais sem filhos por opção, ou ainda, quando os têm, sequer procuram tempo para estarem juntos na vida familiar e religiosa. No “corre-corre” do avantajado e promissor século XXI, “tempo é dinheiro” e um filho a mais, para muitos significa um fardo insuportável. Se não há caridade para a construção da família, quanto mais para o próximo, e assim caminham os homens e mulheres deste novo milênio.

São Luiz e Santa Zélia, vivendo num tempo em que as condições e técnicas para o tão almejado “bem-estar” eram muito mais limitados que os vislumbrados hoje, viveram na mais profunda união com Deus, ligando o seu sofrimento ao sacrifício diário de Cristo na cruz. Souberam levar a vida conforme a obediência a Deus e a resignação da própria vontade mostrando que a santidade também é possível aqueles que são chamados à vida matrimonial, e por isso, recebem hoje esta homenagem, da Casa Pró-Vida Mãe Imaculada, uma obra composta em grande parte por leigos que a exemplo deste casal, buscam servir a Deus na vida matrimonial, educando seus filhos na fé da Igreja, na caridade para com o próximo no serviço à comunidade.

São Luiz e Santa Zélia, rogai por nós!

Deixe seu comentário

*