Fertilidade por meios naturais: naprotecnologia

1 Comentário
389 Visualizações

Deus colocou no coração da mulher a missão da maternidade. Ela é chamada a ter filhos (que podem ser espirituais também). Sem isso, pode tornar-se uma mulher frustrada, vazia.  Acredito que não tenha nada mais triste para uma mulher do que saber que não poderá gerar filhos por ser infértil, ou que para gerá-los, deverá passar por clínicas de fertilização que muitas vezes usam dos sonhos de um casal em ter filhos, para explorá-los economicamente, sugerindo inclusive, intervenções contrárias aos mandamentos da igreja como a fertilização in vitro ou inseminação artificial.

Sabendo da angústia de muitas mulheres o médico Thomas W Hilgers,  atendendo aos apelos da carta encíclica de São Paulo VI, Humanae Vitae,  idealizou a Naprotecnologia e  a CrMS. Através do sucesso de suas pesquisas, ele fundou o Instituto São Paulo VI para construir uma cultura de vida na saúde da mulher. O Instituto desenvolveu uma nova abordagem para os cuidados de saúde da mulher que incorpora os melhores princípios da medicina e oferece tratamentos superiores para as mulheres, desafiando assim, a medicina tradicional, que depende da contracepção, fertilização in vitro e aborto. (1)

Nesse contexto de auxiliar a saúde reprodutiva e ginecológica da mulher, surgiu a Naprotecnologia. A Naprotecnologia (do inglês NaproTECHNOLOGY: Natural Procreative Technology) é uma abordagem médica que permite diagnosticar e tratar as alterações que podem existir no ciclo menstrual. Para avaliar essas alterações, a Naprotecnologia conta com o auxílio do método natural de planejamento familiar Creighton Model FertilityCare ™ (CrMS) (2)

O CrMS é um método modificado e padronizado do método de Ovulação Billings. No CrMS, as observações externas da área vulvar da secreção de muco cervical, a presença de sangramento e os dias em que não há secreção (dias secos) são utilizadas para obter informações pertinentes sobre as fases de fertilidade e infertilidade e o estado de saúde procriativa e ginecológica da mulher. Essas observações dão ao médico e à paciente uma “visão” do ciclo menstrual, permitindo assim, uma avaliação adequada e o tratamento de anormalidades. (3)

No sentido de infertilidade, a naprotecnologia tem um conjunto distinto de protocolos que tem por objetivo principal auxiliar casais inférteis, ou seja, descobrir e resolver a (s) condição (ões) que causam sua infertilidade para que eles sejam mais capazes de alcançar uma gravidez dentro de suas próprias relações sexuais. Em outras palavras, os protocolos de infertilidade da NaPro, têm uma abordagem baseada na doença para infertilidade ou subfertilidade, visualizando como um sintoma uma disfunção orgânica, hormonal ou ovulatória subjacente (4)

A NaPro tem sido extremamente bem sucedido na identificação e tratamento da infertilidade, principalmente porque avalia e corrige de forma abrangente as múltiplas causas do “sintoma” que causa a infertilidade. Juntamente com os gráficos de observação do muco vaginal que são gerados pelo CrMS, os médicos e a paciente conseguem rastrear com precisão os ciclos menstruais encontrando assim o período de ovulação na mulher infértil. Ainda, a análise de marcadores biológicos característicos desses gráficos, apontam ao médico com confiabilidade consistente, a fisiopatologia subjacente do paciente infértil (5)

Com esses gráficos, a mulher e seu marido conhecem sua janela de dias férteis ouo ciclo do muco vulvar. Eles sabem que a relação sexual focada na fertilidade aumenta suas chances de engravidar. Mais importante ainda, o casal infértil entende que seeles direcionam seus atos sexuais para os dias de muco do tipo pico, eles otimizamsuas chances de engravidar.

Se a infertilidade persiste, prossegue-se com o exame detalhado do nível dos hormônios no sangue, a ecografia da ovulação e a laparoscopia avançada. Podem ser necessárias, então, intervenções de microcirurgia das trompas ou de laparoscopia avançada para remover as partes prejudicadas pela endometriose. O resultado final é uma porcentagem de nascidos vivos entre 50 e 60% do total dos casais que realizam os tratamentos durante no máximo dois anos (mas a maior parte concebe no primeiro ano) (6)

Tanto a Naprotecnologia quando a CrMS foram idealizados pelo médico Thomas W Hilgers. Atendendo aos apelos da carta encíclica de São Paulo VI de 1968, Humanae Vitae, Thomas W. Hilgers iniciou uma série de pesquisas científicas nas aplicações da regulação natural da fertilidade. Através do sucesso de suas pesquisas, ele fundou o Instituto São Paulo VI para construir uma cultura de vida na saúde da mulher. O Instituto desenvolveu uma nova abordagem para os cuidados de saúde da mulher que incorpora os melhores princípios da medicina e oferece tratamentos superiores para as mulheres, desafiando assim, a medicina tradicional, que depende da contracepção, fertilização in vitro e aborto

Aqui no Brasil, o casal com problemas de fertilidade ou não e mulheres solteiras que já queiram conhecer melhor seu ciclo menstrual, podem acessar o site: http://www.crmsbrasil.com.br/index.html, que lá terão as informações sobre como encontrar um médico que possa auxiliar.

Andressa V.S. Rompkovski

Mãe e usuária do método!

====

1) https://popepaulvi.com/ – acessado 03/11/2020

2)  http://www.crmsbrasil.com.br/napro.html – acessado dia: 02/11/2020)

3) https://creightonmodel.com/index.html – acessado dia 02/11/2020

4) Thomas W. Hilgers, The Medical & Surgical Practice of NaProTechnology (Omaha, NE: Pope Paul VI Institute, 2004), p. 536

5) SISTER RENÉE MIRKES.NaProTechnology: A MedicalEmbodiment of the CatholicPerspective on an Infertile Couple’sRight to Family Planning. Vol 36: 2

6) https://padrepauloricardo.org/blog/fertilizacao-in-vitro-com-os-dias-contados- acessado dia 03/11/2020

 

 


COVID E GESTAÇÃO

Procuramos trazer nesta editoria informação sobre o COVID-19 e a...

Puerpério uma fase de intensa mudança na vida da mulher

Quantas de nós mulheres passamos vários dias de nossas vidas,...

Deixe seu comentário