Câncer de mama

0 Comentário
248 Visualizações

O otimismo deve ser parte do tratamento

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. O câncer de mama responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, principalmente entre os 40 e 50 anos. Existem vários tipos de câncer de mama, alguns evoluem de forma rápida, outros com menor agressividade. A maioria dos casos tem bom prognóstico, se diagnosticados precocemente.

No ano de 2019 foram contabilizados 66 mil novos casos de câncer de mama no Brasil. Além da idade, o câncer de mama tem como causas principais o histórico familiar, além de fatores externos, como a ingestão elevada de álcool, obesidade, sedentarismo e a exposição a substâncias carcinogênicas, como os corantes e conservantes presentes na alimentação.

DIAGNÓSTICO

O autoexame das mamas deve ser realizado mensalmente após o período menstrual, com o braço elevado e com movimentos circulares da mão oposta, durante o banho. E a consulta anual com o ginecologista é de fundamental importância.

A Mamografia e a Ecografia mamaria são os exames de escolha para o diagnósticode nódulos benignos e malignos da mama. Mulheres a partir de 30 anos de idade que apresentem fatores de risco e as demais a partir dos 35 anos devem procurar um ginecologista ou um mastologista para realizar exames clínicos e de imagem.
Quando um nódulo é diagnosticado, o estudo com ressonância nuclear magnética pode ser solicitado bem como uma biopsia, que demonstrará se o nódulo é benigno ou maligno. Mas, nem tudo o que é palpável corresponde a um nódulo. Muitas vezes, um cisto que é uma lesão benigna pode deixar a mulher bastante preocupada.

TRATAMENTO

Os cistos quando muito grandes e palpáveis podem ser puncionados com uma agulha fina e aspirados, um procedimento simples. Quando um nódulo benigno atinge dimensões grandes pode ter indicação de retirada cirúrgica, que é um procedimento de fácil realização e recuperação. No caso de lesões malignas, o câncer de mama, as cirurgias são tanto menos agressivas quanto mais precocemente detectadas. Quando houver necessidade da retirada de toda a mama, a mastectomia, a reconstrução da mama com prótese pode ser realizada para dar maior conforto a paciente.

O mais importante é a prevenção. Portanto, caso você ou alguma familiar seja acometida de um câncer mamário, não há motivo para desespero. O tratamento existe e é eficaz e deve ser encarado com otimismo.

Dr. Augusto V. Goedert

Radiologista do IDEPI, tendo trabalhado 27 anos no Hospital Erasto Gaertner, em Curitiba, e membro do Colégio Brasileiro de Radiologia


Diferenças entre homens e mulheres: existem de verdade?

Durante muitos anos, as mulheres foram consideradas “sexo frágil” ou...

E quando os filhos não vêm?

Esta edição da Saúda da Mulher traz importantes informações para...

Deixe seu comentário