5 coisas que todo pró-vida nunca deveria dizer

0 Comentário
694 Visualizações

Ser contra o aborto e defender o direito à vida dos bebês desde a concepção: eis dois pontos que são indiscutíveis para todo indivíduo que se diz pró-vida. Colocamos-nos contra o suposto “direito de escolha” justamente por compreendermos que a dignidade da vida humana não pode ser relativizada.

Contudo, dentro do movimento pró-vida, ainda é preciso que alguns valores sejam amadurecidos, para que o próprio movimento consiga combater o mal da cultura da morte pela raiz e não caia em contradição.

Explico: não dá pra ser “pró-vida pela metade”. É preciso levar nossa principal motivação – o respeito à dignidade da vida humana – a todos os outros aspectos da vida. Por esse motivo, listamos a seguir 5 frases que nunca deveriam ser ditas por alguém que se diz pró-vida.

 

  • “Não quero mais filhos, filho sai muito caro”

Cada vez mais casais se lamentam pelos gastos despendidos com seus poucos filhos, chegando a calcular o número de pacotes de fraldas gastos. Fica então a pergunta: o custo de uma vida humana cabe na ponta do lápis? Estarão dispostos a “pagar quanto” para que um aborto não seja realizado?

 

  • “Qual será melhor para eu usar, pílula ou DIU?”

Alguns “pró-vida” acreditam que o aborto é ruim, mas tudo bem usar anticoncepcionais afinal não se está matando uma vida, apenas evitando a concepção.

Contudo, o uso generalizado de anticoncepcionais foi um passo anterior ao aborto: uma coisa leva à outra (afinal é fácil levar à aceitação do aborto em uma população com sua moral corrompida). Foi por isso que a Igreja Católica ensinou e ensina ainda hoje como os métodos anticoncepcionais são prejudiciais e não devem ser aceitos.

Contudo, se isso não é suficiente para convencer, diga-se também outra verdade: tanto a pílula anticoncepcional quanto o DIU são abortivos, levando a mulher a ter diversos abortos ocultos ao impedir a nidação do embrião.

 

  • “Tadinha, engravidou tão nova… estragou com a sua vida”

Também pode aparecer nas variantes “Vai ter que parar os estudos hein” ou “Puxa, vai atrapalhar sua carreira né?”. Conheceu alguém que casou e logo engravidou, ou mesmo alguma moça que engravidou na adolescência? Pois então saiba que eles já estão cientes da enorme responsabilidade que surgiu em suas vidas, não é necessário apontar as dificuldades.

Muito deve ser feito na educação dos jovens para que eles não venham a viver precocemente a sexualidade. O problema de hoje é que as pessoas se escandalizam com uma menina de 13 anos grávida, mas não se escandalizam com o fato de uma menina de 13 anos ter relações sexuais – essa é cultura que precisa mudar.

Contudo, uma vez que a gravidez já aconteceu e o bebê já existe, essa jovem precisará de todo o apoio do mundo, então não seja você a pessoa a falar as besteiras acima. Se você não sabe o que dizer, simplesmente sorria e dê os parabéns.

 

  • “Vocês planejaram ou foi um acidente?”

Essa pergunta é tão corriqueira que eu fico me perguntando quando é que as pessoas passaram a ser tão grosseiras e sem bom senso a ponto de invadir a privacidade alheia dessa forma.

Aliás, o que se pretende saber com essa pergunta… se a gestante está chateada por gerar uma nova vida?

Uma vida humana nunca é um acidente.

 

  • “Agora vão fechar a fábrica, né?”

Quando nasce o segundo filho é a hora do “fecha fábrica”. Pois bem, mas então o que é que se propõe para que não nasçam mais crianças? Usar DIU ou pílula? Opa, são abortivos! Usar camisinha? Pois a Igreja ensina que também não é lícita por retirar o aspecto procriativo na união conjugal.

Ainda que o casal decidisse por um método de barreira, o método pode falhar, ocasionando uma gravidez. O que fazer então? Abortar?

Assim como o uso de anticoncepcionais, a limitação do número de filhos também foi imposta como meio de controle populacional, sendo um passo anterior à legalização do aborto. Afinal, se desejamos apenas famílias pequenas, uma hora ou outra o aborto se faz necessário.

Por essas e por outras um pró-vida nunca deveria torcer o nariz para famílias grandes, e sim refrear as más palavras, pois “a boca fala do que está cheio o coração”. Os filhos são o fruto natural do matrimônio e herança do Senhor.

 

 

Bruna Ciupka Morselli – Bióloga, Doula e palestrante do Núcleo de Estudo e Formação da Casa Pró Vida Mãe Imaculada


COVID E GESTAÇÃO

Procuramos trazer nesta editoria informação sobre o COVID-19 e a...

Foram só algumas horas, mas eu não conseguia imaginar continuar a minha vida...

Meu nome é N., tenho 45 anos, me separei recentemente....

Deixe seu comentário