Querem nos testar!

1 Comentário
2571 Visualizações

A marca Hering decidiu também entrar na moda dos pets, só que desta vez investindo agressivamente contra a superioridade da alma racional, exclusivamente humana, estampando em suas camisetas a frase “meu pet é mais inteligente que seu filho”.

 

A sofística campanha anti-crianças foi uma investida audaciosa: a Hering não hesitou em incluir no seu marketing o modismo da cultura de morte. Os internautas manifestaram-se massivamente contra esta investida e foram tantos comentários negativos que a marca retirou de circulação as camisetas.

 

Provando que não passam de mais um coletivo vítima das falsas concepções da realidade humana, e que está a serviço de grandes magnatas capitalistas, emprestaram seu conceituado nome para uma vã ideologia que insiste em continuar a falácia já totalmente desmascarada: de querer lacrar afirmando que os animais são inteligentes, e até mais do que os seres humanos!!

 

Para se redimir e acalmar os ânimos a marca emitiu um pedido de desculpas e percebeu que a frase realmente não era digna de consideração pois as famílias da vida real sabem diferenciar muito bem um animal racional de um irracional – o nosso recado foi dado.

 

Podemos nos perguntar, “mas, porque esta essa frase incomoda tanto?” Por que ela é tão agressiva?

Ao analisarmos esta frase percebemos que não passa de uma auto-afirmação provocativa, como se o fofíssimo animal em uma esperança darwinista pudesse evoluir e superar o intelecto de uma criança (ser humano, dotado de inteligência e vontade, que são potências da alma racional) e inverter a ordem das coisas.

Trata-se de uma contradição estúpida e grosseira de um grupo influenciado pelo materialismo puro e simples, recheado de ignorância nas questões mais básicas e pela cultura revolucionária  que odeia a família e acha que pode transformá-la em marionete, finge superioridade exatamente para tentar disfarçar o fracasso existencial que é uma vida sem filhos, sem vínculos familiares  e para isso usam das mais sórdidas ofensivas, mesmo que isso contradiga a realidade: viu-se uma oportunidade de lacrar e lucrar…

 

Acordemos Terra de Santa Cruz! A minoria faz muito mais barulho e já foram percebidas pelas grandes instituições, é um campo lucrativo e manipulável onde qualquer ideologia é implantada, são os famosos fantoches, este comportamento é profetizado na frase:

“quando os homens deixam de acreditar em Deus, não significa que eles passam a acreditar em nada; eles passam a acreditar em qualquer coisa” (G. K. Chesterton).

Vacinemo-nos contra todos estes cães que “ladram” procurando as carniças que os aplaudam e os levem a sério.  Quanto a nós, que estamos com a verdade, permaneceremos firmes combatendo a matilha e mantendo-os presos em seu “canil”.

 

Cristiane Aparecida da Costa – Gestora Financeira, especializada em Controladoria e Finanças Empresariais – Membro do Núcleo de Estudo e Formação da Casa Pró Vida Mãe Imaculada

 

 

 


Deixe seu comentário