“Somos pais biológicos pela intercessão de Santa Gianna”

1 Comentário
2615 Visualizações

Gabriel e Flávia Debiasio são membros da Comunidade Católica Shalom, da missão de Curitiba. Discípulos da Comunidade de Aliança, contam à Casa Pró-Vida seu testemunho e milagre alcançado pela intercessão de Santa Gianna!

“Casamos em 2004,  esperamos um tempo para tentar engravidar e mais ou menos com um, ou dois anos de casados, começamos a pensar na possibilidade de ter filhos. Utilizávamos o Método Billings, veio uma gestação, mas com algumas semanas eu perdi, sofri um aborto espontâneo. Aí descobrimos que eu e meu marido tínhamos dificuldade para engravidar, nós dois tínhamos baixa fertilidade, tínhamos 2% chances de ter filhos, eu [Flávia] tinha hipotireoidismo e endometriose, fizemos tratamento e tudo. A chance existia, mas era muito baixa, como não conseguíamos engravidar, entramos na fila de adoção.

Quando estávamos com 7 anos de casados e há 3 anos na fila de adoção, conhecemos a Comunidade Católica Shalom. Uma moça, que faz parte da Comunidade de Vida nos apresentou Santa Gianna Beretta Mola , eu nunca tinha ouvido falar. Neste período tínhamos começado a participar de um grupo de oração para casais na Comunidade e o grupo estava em processo de discernimento do seu nome [os coordenadores rezam e discernem um nome para o grupo] e o nome escolhido foi Santa Gianna Beretta Molla.

Num acampamento de casais no Shalom, uma outra irmã da Comunidade, consagrada da Comunidade Aliança, rezou por mim – e ela nem sabia da história. Deus falava que estava me curando, curando meu útero. E que o Senhor ia me dar a graça de ser mãe naquele mesmo ano [2011]. Depois da oração eu fui partilhar com ela e falei que não podia ter filhos e tudo mais, achava que era a graça da adoção. Mas ela confirmava que eu ia ser mãe biológica.

Logo depois do acampamento, dentro do grupo de oração tínhamos o ícone de Santa Gianna que ia de casa em casa, para os casais fazerem a novena. Nós recebemos o ícone, eu recebi em lágrimas, lembrando de tudo. Fizemos juntos a novena e eu senti que deveria fazer a novena de novo, mas sozinha.

Em um dos dias que fazia a novena fui acompanhada pela minha coordenadora de grupo de oração, momento em que rezamos juntas e conversamos, e Deus mostrava para Ela uma imagem, na qual, eu, Maria [Nossa Senhora] e Santa Gianna estávamos numa cozinha em festa pela minha gravidez.

Minha menstruação estava atrasada, fiz o teste e deu positivo. Uma grande alegria! Engravidei, durante a novena e o ícone ainda estava em casa.  Decidimos colocar o nome da nossa filha de Gianna, em homenagem a Santa Gianna, Gianna Mendes Debiasio. Na gestação, correu tudo bem e ela nasceu em 18 de janeiro de 2012.

Mas a história não acaba aí, conforme conta Gabriel: Estávamos na fila de adoção, e eu recebi uma ligação da vara da infância. Me perguntaram (como em tantas outras ligações, para atualização de cadastros, etc): Vocês ainda querem adotar? Mas dessa vez foi diferente a conversa, porque logo acrescentaram: “temos uma criança, uma menina!”. Nesta época a Gianna estava com 10 meses. Contei para Flávia e fomos na vara da infância, o nome da menina era Vitória. Vimos que sua mãe desde o começo manifestou interesse em deixar para a adoção e tinha feito 7 pré-natais. Fomos ao Lar, conhecemos ela e decidimos adotar. Em 1 ano já tínhamos as duas filhas.

Vivendo todas as graças e desafios de ter duas filhas pequenas, a Flávia ficou grávida novamente, [Gianna tinha 1 ano e dois meses] A gravidez correu tudo bem e nasceu a Karol (o nome é em homenagem a São João Paulo II, seu nome de batismo, Karol Wojtyla).

O que levamos conosco disto tudo é a grande esperança que Deus tinha em nós, porque Ele é Pai, sofreu quando estávamos sofrendo e se alegrou conosco. Vemos a intervenção de Deus na vida das pessoas, dos nossos irmãos de Comunidade, que nos fizeram conhecer Santa Gianna, nos acompanharam no grupo de oração. Somos muito felizes pela vida deles.

Flávia partilha a alegria de contar com a intercessão de Santa  Gianna: pra mim foi um refrigério. Eu cheguei na Comunidade muito sofrida, achava que nunca ia conseguir engravidar. A adoção também é uma graça, mas são graças diferentes. Cheguei desacreditada. Somos muito gratos à Comunidade. Somos muito gratos a Santa Gianna, e percebemos hoje que Deus não quis só fazer um milagre com a vinda da Gianna, mas quis fazer uma cura, a prova disso é a Karol.

A obra de Deus é completa, começou com a Gianna, passa pela Vitória e pela Karol, percorre todo esse caminho. E não sabemos se acabou (risos), somos abertos à Vida, sejam filhos biológicos ou adotivos. A Vontade dEle é perfeita. Somos muito gratos à Deus, porque Ele nos fez família, como fez com Santa Gianna.

Os filhos são uma luz para a vida de um casal. Somos pais biológicos, pela intercessão de Santa Gianna, mas também pela graça de uma mulher que diante da sua realidade, que não sabemos qual foi, não partiu para o aborto e deixou sua filha para adoção. Ela [mãe biológica da Vitória] me deu um presente, me deu a graça de ser mãe pela segunda vez. E completar a Obra de Deus em nossa vida.

Os filhos geram em nós muitas coisas, eles nos amadurecem, coisas que só um filho pode dar e cada filho nos ensina a ser de um jeito, o mais agitado te ensina a ser paciente, por exemplo. Se passamos dificuldades financeiras, algo Deus nos ensina também. Nada é em vão, Deus sempre nos ensina.”

Santa Gianna Beretta Molla, rogai por nós!

Testemunho concedido à Casa Pró-Vida Mãe Imaculada

Entrevista por: Marcia Elizandra Faustino

 


Fertilidade por meios naturais: naprotecnologia

Deus colocou no coração da mulher a missão da maternidade....

Puerpério uma fase de intensa mudança na vida da mulher

Quantas de nós mulheres passamos vários dias de nossas vidas,...

Deixe seu comentário